• Antônio Vieira

Dicas da Legalize para manutenção no imóvel

Desgastes no imóvel alugado, durante o período de locação são fatores naturais e não tem como esses não ocorrem, infelizmente faz parte do processo.



O intuito deste artigo, é apresentar algumas dicas que com a nossa experiência e vivência de mercado, irão com certeza te ajudar a manter sua casa ou apartamento bem conservados e confortáveis, pode apostar.


Vazamento na base do vaso sanitário


O vazamento na base do vaso sanitário, em grande parte das situações ocorre pelo desgaste natural do anel de vedação, que tem a função de básica de direcionar o conteúdo da descarga á rede de esgoto.

E tal por ser tratar de item que tem seu desgaste por uso habitual e corriqueiro, trata-se de uma manutenção que deve ser providenciada pelo locatário (inquilinos).


Mas, e aí como resolver esse problema?


Bem em quase todas as situações, se resolve como a aplicação de rejunte em volta da base inferior do vaso sanitário, o que irá conter momentaneamente o vazamento. Mas trata-se de uma solução não definitiva, e pode sim causar infiltrações e problemas maiores.


O ideal é substituição do anel de vedação, que se trata de um serviço muito simples e que pode até ser executada pelo próprio locatário.


Os materiais necessários, podem ser encontrados em qualquer loja de material de construção, e fique atento que não somente os acessórios devem ser escolhidos, mas que o anel de vedação seja o adequado ao seu vaso sanitário/bacia.


Veja nossas dicas, para a execução deste reparo:

Þ Desligue o registro que alimenta a descarga.

Þ Caso seu vaso tenha uma caixa acoplada, dê descarga até que a mesma se esvazie, desconecte o flexível e desmonte a caixa do vaso. Isso facilitará o manuseamento da bacia.

Þ Solte os parafusos da base e retire o rejunte em volta do vaso.

Þ Com cuidado, retire o vaso e descarte o anel de vedação antigo.

Þ Limpe a região e a parte inferior da bacia.

Þ Posicione o novo anel de vedação, conforme orientação do fabricante. Dica: Alguns modelos de anéis permitem colar diretamente no vaso, facilitando o encaixe.

Þ Posicione o vaso no local e fixe os parafusos corretamente (se necessário, reinstale a caixa acoplada e reconecte o flexível para alimentá-la).

Þ Abra o registro e verifique se o vazamento foi sanado acionando a descarga.

Þ Feita as verificações, aplique o rejunte para dar acabamento.


Problemas com a descarga:


Originalmente existem dois tipos de descargas mais comuns: as nas paredes, conhecidas como descarga por válvula e as com caixa acoplada.


Descarga com Válvula:


São aquelas que estão diretamente instaladas na parede. Ao utilizá-la, alguns elementos são desgastados e com o tempo precisarão de manutenção ou troca. Os problemas mais comuns que esse modelo apresenta são:

Þ Vazamento ao acioná-la;

Þ Vazamento contínuo na válvula, mesmo quando não acionada;

Þ Vazamento contínuo dentro do vaso (descarga não interrompe a vazão de água);

Þ Acionamento liberando menos fluxo de água ou uma quantidade em excesso.


As soluções mais comuns para esses problemas são:


Þ Regulagem da descarga;

Þ Troca do reparo da descarga (peça que regula a saída de água);

Þ Troca de anéis/elementos de vedação.


Caixa acoplada:


Seu acionamento de descarga é executado através um mecanismo que fica dentro de uma caixa cerâmica acoplada à bacia sanitária. Da mesma forma que a descarga por válvula válvula, o acionamento diário desgasta alguns itens desse mecanismo, que pode ser facilmente substituído.


Veja alguns dos problemas que podem demonstrar que a hora da manutenção chegou:


Þ Descarga sem funcionamento;

Þ Pouco fluxo de água;

Þ Vazamento no flexível (cano que liga a caixa acoplada à parede).


O conserto pode envolver procedimentos como:

· Regulagem do mecanismo/kit da caixa acoplada;

· Troca do mecanismo/kit, das peças de vedação ou do flexível.


Como se trata de uma manutenção de pouca complexidade, ou melhor, quase nenhuma, é possível que qualquer pessoa consiga executar a manutenção.


Ao longo do contrato, o conserto da descarga é uma responsabilidade do inquilino, que deve garantir a preservação do imóvel e evitar danos maiores, os quais podem ser gerados pela falta de manutenção.


Sifão Vazando: Mas o que é Sifão?


O sifão nada mais é que um cano, flexível ou metálico que conduz a água utilizada nas pias e tanques até a rede de esgoto. Devido ao seu constante uso, é muito comum aparecer vazamentos que necessitem de pequenos reparos, ou até mesmo em alguns casos mais específicos a substituição da peça, é a solução.


A manutenção é muito simples e evita aborrecimentos como:


Þ Entupimento por conta de acúmulo de resíduos (como restos de comida);

Þ Vazamento nas conexões do sifão por conta de problemas no encaixe;

Þ Vazamento por conta de fissuras no sifão, geradas pelo ressecamento ou desgaste da peça;

Þ Retorno de odores da tubulação.

E quando o Sifão for de plástico, como é a manutenção?


Þ Verifique se o encaixe está adequado, permitindo a vedação nas conexões. Caso não esteja, basta fazer o encaixe manualmente e, se necessário, reforçar com fita veda rosca.

Þ Em caso de fissuras no sifão, recomendamos a substituição da peça por uma nova (encontrada em casas de construção).


E no caso de sifões metálicos?


Þ Verifique se o encaixe está adequado, permitindo a vedação nas conexões. Caso não esteja, basta fazer o encaixe manualmente e, se necessário, reforçar com fita veda rosca.

Þ O sifão metálico costuma ter uma vida útil maior que o de plástico, necessitando substituições menos frequentes, já que é possível limpá-lo apenas desrosqueando o copo e encaixando-o novamente.


Ao longo do contrato, o conserto do sifão é uma responsabilidade do inquilino, que deve garantir a preservação do imóvel e evitar danos maiores, os quais podem ser gerados pela falta de manutenção.


Chuveiro e/ou torneira vazando mesmo fechados?


Os registros são os responsáveis por delimitar, liberar ou até mesmo interromper o fluxo de água direcionados aos trechos da tubulação. Geralmente, não sendo uma regra esses estão localizados dentro da área de box no banheiro e na área de serviço, próximo a cozinha.

Os registros também tem a função de bloqueio do fluxo de água de um cômodo para o outro, permitindo-se assim a execução de manutenção.


Quais os problemas mais comuns em registros?


Com a utilização é comum que os registros sofram desgastes e apareçam alguns problemas, sendo os mais comuns:

Þ Vazamento no próprio registro

Þ Água pingando do chuveiro / torneira mesmo quando o registro está fechado

Þ Registro espanado / manopla solta


Mas e aí, como resolver?

Na maioria dos casos os problemas são resolvidos com a troca de uma peça chamada “reparo”. O reparo dos registros / torneiras é um elemento feito para facilitar a manutenção evitando a necessidade de quebra de parede. É uma peça de baixo custo e encontrada comumente em casas de construção.

Ao longo do contrato, o conserto dos registros e torneiras é uma responsabilidade do inquilino, que deve garantir a preservação do imóvel e evitar danos maiores, os quais podem ser gerados pela falta de manutenção.


Por que é importante ter manutenção no rejunte?


Rejunte é o material utilizado para preencher o espaço entre as peças cerâmicas de seu banheiro, cozinha, área de serviço, por exemplo.

Além de possibilitar um aspecto visual, o rejunte não é importante apenas para o acabamento, mas tem importante função para auxiliar na impermeabilização das laterais das cerâmicas, por isso fique atento sobre as condições do rejunte.

Essa é uma manutenção essencial que o inquilino deve realizar para permitir a preservação do piso. As falhas nos rejuntes podem gerar infiltrações, portanto fique atento para as condições.

A renovação dos rejuntes é um serviço simples que pode ser realizado pelos próprios inquilinos.

Os materiais necessários podem ser encontrados em lojas de construção. Além dos acessórios, é importante que a escolha do tipo de rejunte seja adequada para a área que ele será aplicado:


​Local de Aplicação

Material do rejunte

Área seca(como salas ou quartos)

Cimentício

Área úmida(banheiro, cozinha, lavanderia)

Acrílico

Área molhada

Epóxi

Mas espera ai: Quando saber a hora de dar a manutenção?


Sempre que notar falhas nos rejuntes é importante que realize a manutenção. É comum que haja o desgaste com o uso do dia a dia dos cômodos e também por conta da utilização de produtos de limpeza nas faxinas.

Em alguns casos, onde o piso apresenta falhas/desgaste em diversos pontos, vale a renovação de todo rejunte do cômodo.


Se liga nestas dicas para realização da manutenção:

Para realizar a manutenção/renovação, recomendamos realizar os seguintes passos:

Þ Prepare a mistura do rejunte + água conforme descrito na embalagem

Þ Raspe com a espátula metálica ou tira-rejuntes o preenchimento antigo

Þ Aplique o rejunte no local e, com uma espátula de plástico, raspe aplicando uma leve pressão (recomenda-se movimentos diagonais em relação à linha rejuntada para evitar imperfeições).

Þ Para dar melhor acabamento, utilize uma esponja úmida quando o rejunte começar a endurecer.

Þ Limpe a área com pano seco após a finalização da aplicação.

Þ Aguarde a cura do rejunte, conforme indicação do fabricante.

Þ Passe um pano umedecido no local para limpar.


Locatários, podem instalar acessórios por sua conta e risco? Se sim tem alguma recomendação a seguir?


Muito comum, é o locatário querer deixar o imóvel alugado com um pouco de sua identidade, e a instalação de acessórios acaba sendo inevitável para que a sensação de conforto e segurança sejam presentes. Fique atentos, a alguns pontos que merecem atenção;


As Persianas e Cortinas:


Os modelos mais simples costumam ser fixados através de suportes para sustentar a própria persiana ou o varão da cortina. O inquilino pode realizar essa instalação, mas é importante verificar se o local que deseja furar é apropriado e se a parede a ser instalada comporta o peso da persiana / cortina.

Ao término da locação basta realizar o reparo dos furos e pintura para devolver o imóvel nas mesmas condições iniciais. Outra dica é evitar furar / fixar objetos em tetos de gesso.


Assento para vaso sanitário:


O assento do vaso sanitário é comumente encontrado em casas de construção. Recomendamos sua troca por questões de higiene e, se preferir, pode retirar o assento adquirido ao término da locação, reinstalando o original.


As Lâmpadas:


Caso uma lâmpada não esteja funcionando ou não se não houver lâmpadas no imóvel, você pode comprar uma própria de acordo com sua preferência e retirá-las ao término da locação. Lembre-se também de registrar na vistoria de entrada quais lâmpadas estavam queimadas.

Em alguns casos pode ser necessária a instalação de um soquete. Esse item também pode ser providenciado pelo inquilino ou se preferir, pode optar pela instalação de um lustre ou plafon, conforme sua preferência.

Caso faça a aquisição desses itens, você pode retirá-los ao término do contrato.


Porta Toalhas, Papel Higiênico e Shampoo


O locatário pode realizar a instalação de porta toalhas e papel higiênico de sua preferência. É importante apenas tomar cuidado para que a instalação seja feita corretamente, evitando danos nos revestimentos da parede além de verificar se não há tubulações evitando que possam ser perfuradas na instalação!

Esses itens também podem ser retirados ao término da locação, caso prefira, mas os “famosos buracos” devem ser tapados, e qualquer dano aos revestimentos, eles devem ser substituídos. Fique atento, pois muitos revestimentos tem grande dificuldades de serem encontrados no mercado para a substituição, ai isso pode virar um pesadelo.


Prateleiras / Quadros:

Os inquilinos podem também realizar pequenos furos nas paredes para instalar quadros ou mesmo prateleiras. É importante apenas observar se é possível realizar no local desejado. Lembre-se também de realizar o reparo dos furos e pintura ao término da locação ao término da locação.


Redes de Proteção:

As redes de proteção são benfeitorias que muitos inquilinos optam por instalar para dar maior segurança aos moradores, principalmente quando há crianças ou pets vivendo no imóvel. É importante verificar se há algum padrão no condomínio para evitar alterações na fachada.